segunda-feira, 14 de março de 2011

JAPÃO GUERREIRO

Quando fecho os olhos ainda lembro aqueles jardins perfeitos.

Quando respiro continuo sentindo o aroma das flores.

Meus ouvidos não se cansam de perceber o barulho dos pássaros e das fontes que jorram água.

Minhas mãos permanecem aveludadas com tanta riqueza de um povo.

Minha boca parece mastigar os doces mais bem desenhados e diferentes que já experimentei.

Como é bom sentir saudades de um lugar em que tudo era minuciosamente perfeito. Nada para os japoneses parecia estar fora do lugar.

Cada árvore plantada tinha uma equipe para cuidá-la.

Cada templo carregava uma história secular.

Cada cantinho tinha uma energia espetacular.

Cada gueixinha que circulava deixava um perfume no ar.

Cada japa carregava no peito um guerreiro.

Cada passo que eu dava eu me sentia mais em casa.


Hoje sinto uma mescla de sentimentos. Ver o meu Japão devastado é como colocar uma kataná em meu coração. Quanta destruição, quanta barro deixado pelo tsunami. Quantos japoneses mortos. Quantas construções destruídas. Quantas vidas atordoadas. Quanta loucura para um povo que já enfrentou muitos problemas e sempre soube se erguer. Quanta vontade de viver e recomeçar! Quanto garra para reinventar. Quanto sacrifício para mostrar ao mundo que é preciso acreditar e acima de tudo ser um guerreiro de verdade. Mesmo não estando lá, sinto-me perto em orações. Fecho os olhos e vejo-me falando baixinho num dos templos mais vibrantes em que já estive.


Lá peço luz ao meu povo e muita força aos espíritos que lutam de forma incansável por um Japão onde os samurais seguem seu caminho sem medo de vencer mais uma batalha.


Um comentário:

edmar disse...

São lindas suas palavras de sentimentos e afinidade com nosso povo sei lá, por ligações espirituais que não sabemos.
O espírito de um guerreiro está empregnado neste povo.
Mas que Deus (Kami Sama), os ilumine, guie e eleve ao mundo espiritual todos aqueles que vieram a perecer.